Presos Políticos do Império| MIAMI 5      

     

Só TEXTO / Assinatura jornal impreso

N o s s a   A m é r i c a

Havana, 4 Novembro de 2014

 

Venezuela aumenta salário mínimo para combater guerra econômica

Théa Rodrigues

Segundo informações oficiais, a estratégia do governo venezuelano diante da guerra econômica concentra esforços em proteger as economias dos trabalhadores, além de combater a especulação mediante inspeções. Neste sentido, o presidente Nicolás Maduro decretou um reajuste de 15% no salário mínimo, que deve vigorar a partir do dia 1º de dezembro. Ao mesmo tempo, ordenou um plano de fiscalização no território nacional para garantir a aplicação de preços justos nas redes comerciais.

Política de fiscalização de preços é aplicada a todo o país.
Política de fiscalização de preços é aplicada a todo o país.

Maduro anunciou nesta segunda-feira (3) o aumento de 15% no salário mínimo. Assim, na Venezuela, o salário passará a ser de 4.483,00 bolívares (711,00 dólares) e ainda haverá um bônus de alimentação de 2.095,00 bolívares (332,50 dólares) ao mês. Com essa política, o governo pretende combater as pressões inflacionárias presentes na economia nacional a fim de proteger o nível de vida dos trabalhadores.

No início deste ano, as autoridades venezuelanas já realizaram mudanças de 10% no salário mínimo e na aposentadoria e, no mês de maio, incrementaram o valor com outros 30%. Com o último ajuste decretado pelo governo, em um período de quatro anos, o salário mínimo sofreu 12 alterações, conforme informou a Prensa Latina.

Por sua vez, a política de fiscalização de preços aplicada a todo o país coincide com o período de festas de fim de ano e com o pagamento de benefícios pelo Estado. Sendo assim, é importante garantir a aplicação de preços justos e evitar que haja especulação.

Ao mesmo tempo, a Venezuela pretende manter o combate ao contrabando em todo o território nacional. Nas últimas semanas, foram apreendidas mais de 9 mil toneladas de alimentos e produtos de higiene.

Para o presidente, o aumento dos preços ao consumidor é consequência de uma "guerra econômica" lançada por inimigos de seu governo. Maduro acusa empresários de manipularem os preços.

De acordo com o Banco Central do país, a taxa de inflação anual da Venezuela atingiu 63,4% em agosto, com os preços ao consumidor subindo 3,9% naquele mês.

(Extraído do portal Vermelho)

Com informações da Prensa Latina

 

IMPRIMIR ESTE MATERIAL


Diretor Geral: Pelayo Terry Cuervo. Diretor Editorial: Gustavo Becerra Estorino
HOSPEDAGEM: Teledatos-Cubaweb. Havana
Granma Internacional Digital: http://www.granma.cu/

  Inglês | Francês | Espanhol | Alemão | Italiano | Só TEXTO
Só TEXTO / Assinatura jornal impreso

© Copyright. 1996-2013. Todos os direitos reservados. GRANMA INTERNACIONAL/ EDICAO DIGITAL

Subir