Presos Políticos do Império| MIAMI 5      

     

Só TEXTO / Assinatura jornal impreso

N o s s a   A m é r i c a

Havana, 30 Outubro de 2014

 

Farc-EP denuncia responsabilidade dos EUA em conflito colombiano

As Farc-EP sublinharam nesta quarta-feira (29) em Havana, Cuba, a responsabilidade central dos Estados Unidos e de outras potências estrangeiras na origem, persistência e composição do conflito interno colombiano.

Representante das Farc-EP em Havana Representante das Farc-EP em Havana
Representante das Farc-EP em Havana Representante das Farc-EP em Havana

No contexto do processo de paz instalado em Havana, desde 2012, com o governo do presidente Juan Manuel Santos, o comandante Matías Aldecoa, das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia-Exército do Povo (Farc-EP), fez uma alusão sobre as responsabilidades sistêmicas e múltiplas diante das vítimas do conflito.

Nesse sentido, Aldecoa apontou a reponsabilidade aos Estados Unidos e às outras potências devido à suas concepções imperialistas de "senhor e policial" do mundo.

Tudo isso é materializado na imposição da Doutrina de Segurança Nacional, no treinamento de oficiais e na participação direta no conflito com tropas, bases militares, financiamento de planos específicos de guerra e inteligência, entre outros aspectos. Por outro lado, Aldecoa reiterou que os setores da economia e suas entidades sindicais, inclusive as empresas multinacionais, devem assumir e reconhecer sua responsabilidade na origem e na duração do conflito na Colômbia.

Ele disse que são muitos empresários que se beneficiam da guerra, especialmente aqueles que de maneira direta estão no negócio de armas e tecnologia bélica.

O porta-voz da guerrilha se referiu também à alta responsabilidade que cabe aos meios de comunicação em massa, por sua contribuição direta no açodamento da guerra, na promoção de campanhas permanente de desinformação, diversionismo ideológico e guerra psicológica.

Aldecoa assinalou que os partidos e os movimentos políticos, em sua grande maioria, têm enorme responsabilidade na escalada da guerra e devem admitir isso de maneira clara e categórica.

Tudo isso, segundo ele, no afã de tentar resolver o conflito pela via militar, legislaram a favor da guerra por meio de suas bancadas no Congresso e também impuseram uma cultura de confronto e extermínio do povo.

(Extraído do portal Vermelho)

 

IMPRIMIR ESTE MATERIAL


Diretor Geral: Pelayo Terry Cuervo. Diretor Editorial: Gustavo Becerra Estorino
HOSPEDAGEM: Teledatos-Cubaweb. Havana
Granma Internacional Digital: http://www.granma.cu/

  Inglês | Francês | Espanhol | Alemão | Italiano | Só TEXTO
Só TEXTO / Assinatura jornal impreso

© Copyright. 1996-2013. Todos os direitos reservados. GRANMA INTERNACIONAL/ EDICAO DIGITAL

Subir