Presos Políticos do Império| MIAMI 5      

     

Só TEXTO / Assinatura jornal impreso

E S P O R T E S

Havana. 15 Outubro, de 2014

Yulieski Gourriel teve bom desempenho no beisebol japonês

ASPIRANTE a novato do ano da Liga Profissional de Beisebol do Japão (NPB), em 13 de outubro retornou à pátria o jogador de beisebol cubano Yulieski Gourriel, após sua primeira apresentação nessa liga, onde teve um bom desempenho com o time Yokohama DeNa BayStars, com uma ofensiva acima dos 300 pontos, com mais de 30 hits em 62 jogos.

"Tem sido uma experiência inesquecível para mim. Esta é uma das melhores coisas que me aconteceu na vida", disse a sua chegada a Havana Yulieski, que fez parte do time campeão olímpico em Atenas-2004 e vice-campeão do I Clássico Mundial (2006), em declarações a Radio Habana Cuba.

Gourriel, 30 anos, contou que no início foi difícil adaptar-se ao modo de vida no Japão, "muito diferente" do dos cubanos. E sublinhou que também foi difícil no início sua entrada ao "profissionalismo", mas reconheceu que "pouco a pouco, fui me acostumando até conseguir o que tinha esperado".

O jogador de beisebol cubano mais comentado na mídia deu 33 hits — 22 doubles e 11 home runs — em 62 jogos, com uma média de 305 (239-73).

Ainda, marcou 46 corridas pontos, empurrou 30 e teve uma média de slugging de 536.

Na defesa cometeu seis erros na terceira e segunda base do Yokohama.

Participar pela primeira vez de uma liga "tão forte e exigente", onde esteve quase cinco meses significou uma grande experiência, como o forte treinamento.

"O sistema de treinamento é muito cansativo, muito diferente do de Cuba. Para os próximos anos deveremos adaptar-nos daqui", expressou e contou que enquanto chegou "depois de 25 horas de viagem disseram-me: deixa as malas e vamos treinar".

Yulieski disse ter cumprido sua principal expectativa, rebater com certeza e ter uma média superior aos 300 pontos; ante "um beisebol onde os arremessadores são considerados dentre os mais difíceis do mundo". E lembrou que tanto ele como os outros cubanos contratados tentaram deixar "uma boa impressão, para que em anos próximos os japoneses se interessem mais nos jogadores de beisebol cubanos".

Contou que lá esteve acompanhando o 54º campeonato nacional e disse que "via todos os jogos de Industriales", seu time desde o ano passado no beisebol cubano.

"Até agora, eu acho que não sou muito necessário no time porque meu irmão Lourdes Jr. se esta desempenhando muito bem", disse à maneira de piada; mas orgulhoso de seu irmão, que começou muito bem como terceira base do time mais famoso do beisebol cubano.

Disse que se sentia cansado, por tal motivo terá uns dias de descanso — sem precisar quantos — para tentar recuperar-se e depois incorporar-se ao campeonato com seu time Industriales. (Redação do Granma Internacional)
 

IMPRIMIR ESTE MATERIAL


Diretor Geral: Pelayo Terry Cuervo. Diretor Editorial: Gustavo Becerra Estorino
HOSPEDAGEM: Teledatos-Cubaweb. Havana
Granma Internacional Digital: http://www.granma.cu/

  Inglês | Francês | Espanhol | Alemão | Italiano | Só TEXTO
Só TEXTO / Assinatura jornal impreso

© Copyright. 1996-2013. Todos os direitos reservados. GRANMA INTERNACIONAL/ EDICAO DIGITAL

Subir