Reflexiones del Comandante en Jefe

REFLEXÕES DO COMANDANTE-EM-CHEFE

 Derrota moral sem precedentes do império

 O primeiro ao fazer referência a este tema é recordar as palavras de Roberto González, advogado, filho de família cubana refugiada nos Estados Unidos durante a tirania que voltou quando triunfou a Revolução. Tanto ele como René nasceram nesse país durante a estada da sua família nesse país. Todo o tempo tem batalhado em favor da liberdade de seu irmão René, que sofre cruel e injusta prisão junto com mais quatro heróis defensores de seu povo na luta contra o terrorismo.

 “O pior que pode acontecer é que devido ao sentimento de derrota e de vitória nos desmobilizemos. O caso dos Cinco o ganharemos quando eles estiverem em Havana...  Este é um julgamento que você o ganha muitas vezes nos fatos e o perde em Direito, o perde na decisão dos juízes.”

 Sabias e prudentes palavras de um verdadeiro perito batalhando contra o cinismo; ele próprio expressou seu assombro pelo acontecido.

 Na Mesa Redonda foi explicada a importância que teve a participação na cidade de Atlanta de 73 personalidades com grande prestígio no mundo sobre questões ligadas ao Direito Internacional. Ali se fez evidente e incontestável a não existência dos delitos que lhes foram imputados aos acusados, com punições que foram aprovadas unanimemente por um júri supostamente imparcial, na pior comunidade do planeta para conseguir uma decisão justa. Há que ler textualmente e analisar o que expressaram na Mesa ou por telefone cada um dos que falaram e as afirmações dos que ainda faltam por falar.

 Em casos reais de espionagem julgados recentemente nos Estados Unidos, a punição não ultrapassa os 10 anos. Aos nossos cinco compatriotas nem sequer puderam provar-lhes o cargo de conspiração para realizar espionagem. O destino cruel e insólito deles e de seus familiares obedece à política pérfida e confessa de Washington de aplicar o terrorismo contra o povo cubano, violando durante quase meio século as mais elementares normas das Nações Unidas e a soberania dos povos.

 Há muitas coisas importantes que podem ser acrescentadas e estão provadas, mas hoje desejo ser breve para que estas palavras possam ser transcritas e publicadas pela imprensa nacional, o mais importante é que nosso povo desenvolva uma sólida e indestrutível consciência sobre estas realidades.

 Fidel Castro Ruz,

22 de agosto de 2007

16h35

   

SubirSubir